POLEDANCE - minha história com o postinho!

by 11:30 2 comentários
Minha história com o Pole Dance foi bem diferente da Dança do Ventre.
Vou contar como me apaixonei pelo postinho RS...

Estava em época de estudo para o Mercado Persa e, conversando com minha amigona Carlinha sobre esta “vida dupla” de bailarina e civil, lembramos do filme Flash Dance onde a operária queria ser bailarina – todos conhece a historia né? Tenho muitas colegas de dança que optaram assim como eu, não viver de dança mas a paixão é a mesma! E buscando na net, vi um texto bacana sobre isso neste site aqui e me interessei pela modalidade.

Até então, sobre o PoleDance eu só tinha ouvido falar do “furor” que foi a performance da atriz Flavia Alessandra na novela Duas Caras e, nem imaginava a complexidade.

Me interessei e liguei para as únicas 3 professoras que lecionavam na época – Alexandra Valença ( a que ensinou a atriz) Renata Wilke e Cristina Longhi e, fui lá fazer um mês com cada professora. Analisei didática, localização e performance e acabei escolhendo a Renata. E lá vai eu atravessar a cidade indo para o km14 da Raposo Tavares fazer aula.

A primeira aula de poledance a gente nunca esquece!!!
Shortinho curto e top são obrigatórios! pois aderência a pele é essencial – e não pela sensualidade - os que acham que poledance é só coisa de stripper com pouca roupa. Sai de lá até que feliz pois consegui fazer alguns moves, mas no dia seguinte não conseguia nem cruzar o braço e toda roxa. O hirudoid foi meu amigo por um bom tempo...

Minhas primeira inversões - to vermeeeellhhaaa

Alias, um fato que sempre me persegue são estes estigmas. Quando jogava futebol, as piadas eram sobre ser “shimba-lá ieh” (leia-se sapatinha!! RS...) A mesma coisa com a dança do ventre, seguido de “hummm delicia” e pensamentos masculinos sobre estereótipos da dança dos 7 veus nua!! Kkkkk e agora “sobe no pau/poste”

Óbvio e inegável que o PoleDance é sensual afinal, para nós ocidentais essa dança atualmente é bem usada em Boates, mas quando você começa a praticar na modalidade fitness, vê que de sensual tem pouca coisa. Mas isso é txt para outro post
Depois de muito roxo, xingos (porque no começo dói pra kct!) e esforços, recomendo muito o pole pela transformação rápida que se tem ao praticar.

Fazendo um "escorpião"- menos vermelha

Eu como uma boa bailarina, não tive muita dificuldade em usar membros inferiores pois panturrilha e perna grossa sempre tive, mas o braços era muito fraquinho e, em 6 meses me vi musculosa e com as coxas na parte interna mais dura.


Eu (bem fortinha!), Vania (prof) e Cris (em breve estará em Córdoba ES


E claro né meu povo? Depois que você aprende alguns moves que você nem imaginava que poderia fazer, dá vontade de subir em tudo quanto é poste!! Kkkkk Virou “febre” fazer poledance street em qualquer lugar que eu vou !!!

Poledance Street na Vila Madalena



E em Barceloneta! CAUSEI!!

Mas a beeesshhhaaa aqui é phina e comprei meu postinho todo removível para dançar em casa- bonitcha!!! (imaginem a diarista vendo um postinho no escritório)

Os meninos se divertindo mais que as meninas no postinho!

Atualmente treino com a Vania Cortez – uma phopha!! Que faz a linha mais Burlesque|Sexy|Chic| e cada dia estou evoluindo mais!
Depois escrevo sobre as vantagens e desvantagens do Pole pois nem tudo são flores assim!!
E por enquanto é isso
Amor a tres, Eu a musica e o poste!
Recomendo!

Deborah Macedo

A Bailarina Viajante

Apaixonada por viagens e bailarina de dança do ventre. Ama artes corporais e sempre inquieta! Já passou pelo pole dance e atualmente é apaixonada pelo Tecido Aéreo. Detesta peixe e ama culturas exoticas, experiencia desafiadoras e pimenta

2 comentários: