TRABALHANDO COM DANÇA DO VENTRE NO EXTERIOR

by 16:05 1 comentários
Hi Bellydancers do meu coração, que sonham em trabalhar no exterior! Me deram esta reportagem aqui - na qual nao sei o nome e nem que dia saiu no jornal. Mas achei bem interessante a história desta moça chamada Mirian pois ela mesma gerenciou e conseguiu trabalhar com dança - e nao caiu em enroscadas no exterior e nao foi por intermédio de empresários

Fica a dica para quem quer iniciar uma carreira no exterior!!

Brasileira mostra toda sua ginga nas Arábias!


Ela se formou em Jornalismo, mas gostava mesmo era de dança do ventre. Sempre dançou para pagar suas contas, mas queria muito mais. Nascida em porto Alegre, Rio Grande do Sul e criada em Chapecó, Santa Catarina, resolveu correr atrás do sonho de ganhar a vida fazendo o que mais gostava. Disparou currículos para varias partes do mundo a fim de realiza-lo.

Mariana Elias, de 29 anos passou pela Síria, França e Austria antes de se mudar para a Jordânia, seu lar a pouco mais de um ano. Hoje em dia, é contratada pelo Hotel Movenpick, uma fabulosa estrutura construída à beira do Mar Morto, onde mora e monta apresentações para hóspedes visitantes. Realiza shows diários, preparados em ensaios exaustivos, e assim consegue desbancar artistas locais na disputa por espaço em uma das maiores redes do mundo

Olhos grudados
A plateia não desgruda os olhos do palco quando a brasileira começa a balançar ao som da percussão, em apresentação noturna, em um espaço a céu aberto do hotel. Olhares hipnotizados de jovens, adultos, velhos, crianças e mulheres acompanham cada passo, cada movimento da artista de corpo perfeitamente esculpido pelos treinos intensos. A adaptação exigiu de Mariana hors de ensaios. Ela precisou se adequar ao estilo de dança local, bastante diferente da que aprendeu no Brasil. Alias, as peculiaridades de cada região do mundo árabe não podem passar despercebidas a ela até hoje. "Muitas veses, a "gringa" chega aqui para dançar e não sabe se está usando uma música tunisiana ou do Golfo (Persico). Há uma diferença muito grande" afirma.

Justamente por conta dessas particularidades, ganhar o mundo árabe não foi fácil para ela. " O público é exigente", explica "Eles não querem simplesmente ver uma bailarina se mexendo no palco. Querem ver voce interpretar a música, a letra. Tenho que saber o momento de sorrir ou não, dependendo da musica e do que ela diz. É muito mais que uma questão de arte e interpretação da musica de que sensualidade.
Sobre voltar para a casa, ela diz que gostaria de poder conciliar as coisas boas (familia, amigos e costumes) trazendo tudo que gosta para a Jordânia. Como isto não é possivel, ela conta que ainda não é o momento. "Eu não voltaria porque não teria condições de trabalhar com u que eu gosto. Só poderia dar aulas"

Como a carreira de bailarina não é para sempre, ela já tra~çou novos planos para depois de sua aponsentadoria, pensada para daqui a cinco anos. "Quero fazer mestrado na França, estudar Antropologia e trabalhar nas Nações Unidas"

Confira o vídeo


Lindona, sucesso!! Bjos dançantes e viajantes!

Deborah Macedo

A Bailarina Viajante

Apaixonada por viagens e bailarina de dança do ventre. Ama artes corporais e sempre inquieta! Já passou pelo pole dance e atualmente é apaixonada pelo Tecido Aéreo. Detesta peixe e ama culturas exoticas, experiencia desafiadoras e pimenta

Um comentário:

  1. Deborah, muito obrigada pelo carinho e pelo espaco aqui no seu site.

    Os trechos dessa reportagem que voce tem foram retirados de uma materia escrita por Samuel Rodrigues e publicada no jornal A Tribuna (www.atribuna.com.br), em 07/08/2011.
    Lindona, vi que voce comentou ali que nao vim pra ca por intermedio de empresarios, mas eu tenho um empresario sim.
    Na verdade nao recomendo que as bailocas trabalhem num pais arabe por conta propria, ao menos no comeco, pela questao da lingua, da cultura e principalmente por nao se saber quais lugares sao bons e quais contratos sao confiaveis.
    Nisso um bom empresario pode ajudar muito :)

    Um beijo grande, e boa sorte com a danca e suas viagens pelo mundo!

    ResponderExcluir